CCXP | Autores falam sobre representatividade e Black Lives Matter

CCXP | Autores falam sobre representatividade e Black Lives Matter

Falemos do domingo que foi o coração da CCXP! O evento contou com Fabien Toulmé, autor da obra literária A Odisseia de Hakim. O artista, durante o evento, relembrou seu trabalho com a graphic novel Não era você que eu esperava. A obra autobiográfica retrata o nascimento de sua segunda filha com Síndrome de Down. Mas desta vez, o artista promete novas temáticas!

CCXP | Autores falam sobre representatividade e Black Lives Matter

O autor Toulmé informa ainda que o seu próximo título será uma ficção. Logo, ele afirma também que o tema irá tratar as mudanças ao longo do tempo do relacionamento entre casais. Aguardamos esse rolê!

Já a famosa roteirista Gail Simone, conhecida por Batgirl, Red Sonya e Aves de Rapina, relembrou sua longa história na indústria de quadrinhos e comentou sobre o aumento de mulheres na indústria nos últimos anos. Representatividade que chama, né?

CCXP | Autores falam sobre representatividade e Black Lives Matter
Divulgação/Reprodução: CCXP Worlds.

No passado não havia a participação de mulheres efetivamente em histórias. Elas não faziam parte. Elas não eram aventureiras e sim, vítimas de violência sexual, cortadas ou assaltadas. Sempre secundárias. Até que comecei a perguntar para os executivos: ‘Por que vocês descartam 50% de faturamento ao decidir não investir em histórias diversas e voltadas ao público feminino?” diz Gail Simone.

A criadora do blog feminista Woman in Refrigerators disse que as páginas dos quadrinhos são ilimitadas! A roteirista ainda concluí que mentes podem ser mudadas e frisando a frase: “Representation matters” (representatividade importa).

CCXP também trouxe o autor de um dos maiores clássicos do Homem-Aranha

Durante a tarde rolou um bate-papo bem humorado com o escritor Gerry Conway. O escritor, na época com 17 anos, trabalhou com lendas como Stan Lee e Jack Kirby. O escritor revelou que passou 20 anos sem frequentar convenções de quadrinhos após a publicação de A Noite em que Gwen Stacy Morreu em 1973.

CCXP | Autores falam sobre representatividade e Black Lives Matter
Divulgação: Omelete.

Ademais, Conway falou sobre sua manifestação contrária ao uso do símbolo do personagem Justiceiro em uniformes de policiais durante a repressão de protestos do Black Lives Matter.

O símbolo do Justiceiro representa uma falha no sistema, algo falido e nunca foi criado para significar opressão. Acredito que o Justiceiro estaria do lado da população, contra os policiais e não a favor.” diz Conway.

Mais uma vez, parabéns a CCXP Worlds pelo evento e por trazer convidados que exploraram a importância dos temas como Black Lives Matter, representatividade e diversidade.

Bem, por enquanto é isto! Mas que tal saber um pouco mais do que rolou no primeiro dia de CCXP Worlds? Então #KolaNoKolmeia e veja também CCXP Worlds | Diversidade, estrelas dos quadrinhos e uma experiência inédita para os fãs marcam o primeiro dia.

É isto. FA-LOU!

More Stories
Gran Turismo Sport | ApexGt eSports terceira etapa da Divisão Pro 1
Gran Turismo Sport | ApexGt eSports terceira etapa da Divisão Pro 1