KINDLE | Contos no Kindle com histórias para se divertir

KINDLE | Contos no Kindle com histórias para se divertir

O Kolmeia traz alguns contos para ler no Kindle em três dias (ou em um fim de semana)

Diante de um ano difícil, uma das opções de diversão é a leitura. E quando se fala nisso, não há somente os livros físicos. Assim, o Kolmeia vai indicar algumas histórias para ler no Kindle.

Mas não se preocupe! Mesmo que você não tenha o aparelho, é possível baixar o app da Amazon de graça.

Kindle: uma alternativa na pandemia

Os fins de semana são ideias para se divertir: sair com os amigos, dançar, viajar. Porém, o mundo ainda vive uma pandemia e essas opções não são recomendadas. A melhor opção (se puder) é ficar em casa vendo um bom filme ou uma série.

Por que, então, não aproveitar para conhecer novos escritores e viajar no mundo literário? Dessa forma, uma opção excelente é a leitura, seja com livro físico ou digital. É assim que muitas pessoas enfrentaram a situação atual. Nesse contexto, o Kindle se tornou o melhor amigo de muitos, quase uma amizade no estilo Buzz e Woody, de “Toy Story”.

Segundo uma matéria do início de dezembro de 2020, do portal R7, os brasileiros passaram a ler mais na pandemia. Isto pode ser percebido através das vendas de e-books. Segundo a empresa Bookwire Brasil, focada em livros digitais, as vendas até duplicaram.

Especulando o aumento das vendas, uma das razões é o valor do livro digital. Eles geralmente custam menos em comparação com o livro físico e, com a vida financeiramente difícil, é sempre bom economizar.

Outro ponto positivo é a praticidade do Kindle. São vários livros em um aparelho compacto. Além disso, ainda é possível consumir HQs e contos. Tudo de forma muito confortável.

Contos: Uma leitura rápida, mas profunda

Pensando nisso, ótima opção para diversão são os contos. Eles são excelente alternativa para conhecer histórias novas. E, claro, sair da zona – literária – de conforto. Também por serem curtos, é possível consumir mais de um em poucos dias. Dependendo do ritmo do leitor, até 2, 3 por dia. Isto geralmente não acontece com um livro.

Uma informação curiosa é que os contos não deve ocupar mais de 7.500 palavras.

Onde posso encontrar os contos?

Atualmente, o que não falta são plataformas para leituras. Nelas, se pode encontrar vários livros e contos. O primeiro exemplo é o Wattpad, no qual os autores compartilham histórias originais. Interessante que muitos escritores iniciaram sua carreira nesta mesma plataforma. E a grande vantagem é o material disponibilizado de forma gratuita. 

Contos do Kindle.
Divulgação: Pinterest.

O segundo exemplo é o aplicativo Kindle, da Amazon, que contém (alguns) livros também de graça. O leitor tem a opção de assinar o Kindle Unlimited, espécie de “biblioteca”. Por meio dela, o assinante pode pegar até dez e-books. É outra opção para novos escritores publicarem suas obras.

A seguir, três contos presentes no Kindle. Eles foram “descobertos” de forma despretensiosa. Lembrando que os links para acessar os contos estarão disponíveis no final desta matéria.

Três indicações de contos no Kindle.

1- Cinco Dias Para o Fim do Mundo, de Lucas Rocha:

Capa do conto do Kindle.
Divulgação: Amazon.

O primeiro dos contos presentes no Kindle foi escrito por Lucas Rocha. E, claro, que combina muito com o momento atual.

Num determinado dia, a avó de Camila anuncia para a família que o mundo vai acabar dentro de cinco dias! Como a avó nunca errou nenhuma previsão, [quase] todos acreditam. Assim, Camila decide aproveitar os últimos dias com suas amigas, numa viagem sem destino.

Sem nenhum medo e desespero, geralmente típicos de cenários como esse, o autor consegue transmitir a paz em 75 páginas. Ainda faz refletir sobre nossos sonhos e objetivos que teimamos em adiar. Bem parecido com o atual cenário, não é mesmo? 

2- A Garota do Banco de Trás, de Mary C. Müller:

Capa do conto do Kindle.
Divulgação: Amazon.

Já Müller nos transporta até o último ano do Ensino Médio. Pura nostalgia!

Na última semana de aula, Bianca resolve se declarar para a garota que pega o mesmo ônibus que ela. Por nunca ter tido coragem, Bianca não sabe nem o nome da menina. Assim, a nomeia de Kindle. Mas ela não consegue lidar com sua timidez e autoestima baixa. Isso fica claro na passagem a seguir: 

“Tinha certeza que naquele ano inteiro a garota nem sequer tinha reparado na minha existência. Ainda que eu fosse mais corajosa e sentasse mais perto, acho que não faria diferença. Ninguém se interessava muito pela garota acima do peso. Às vezes que eu mal acreditava já ter beijado alguém.”

A escrita em primeira pessoa aproxima o leitor da personagem principal: o medo do novo, representado pelo fim da escola e a mudança de cidade para estudar numa faculdade; sem esquecer da falta de confiança em si como já mencionado, por exemplo.

3- Adivinha Quem Não Voltou Pra Casa?, de Pedro Poeira:

Capa do conto.
Divulgação: Amazon.

O último dos três contos publicados no Kindle é para aquecer de vez o coração e dar boas gargalhadas com o final.

Geralmente, quando os filhos saem para se divertir, os pais não ficam tranquilos até eles chegarem em casa sãos e salvos. E quando não dão nenhum tipo de notícia, melhor se preparar para um sermão. No mínimo! Mas e quando o contrário acontece?

Pedro Poeira apresenta de forma espetacular o que acontece quando as pessoas crescem e seus pais decidem viver, ou seja, a troca de papéis. O autor apresenta o ponto de vista dos filhos, da mãe e de mais um personagem bastante observador. 

Estes são os contos que estão disponíveis no Kindle (Amazon) com preços muito acessíveis e no Kindle Unlimited de forma gratuita. Ressaltando que todos os autores são brasileiros. Isto só prova que o Brasil possui ótimos escritores. E o quanto a literatura nacional precisa ser mais valorizada. 

Boa leitura!

Link dos livros: Cinco Dias para o Fim do Mundo, A Garota do Banco de Trás e Adivinha Quem Não Voltou Pra Casa? .

Veja também: FOME | Livro nacional com um thriller eletrizante ganha prêmio ABERST

More Stories
Como Watchmen ajuda a entender o fim da escravidão no Brasil – Parte 2
Como Watchmen ajuda a entender o fim da escravidão no Brasil – Parte 2