Falcão e o Soldado invernal | menos magia e mais humanidade

Falcão e o Soldado invernal | O que esperar dos próximos capítulos?

18 0

Falcão e o Soldado invernal é a segunda série da Marvel para a Disney+ e trouxe muito do que os fãs de Capitão América gostam de ver. A saber, a série já começa com o pé na porta e uma cena de ação aérea com o Falcão. Entretanto, dá uma abaixada no tom pra focar na humanidade dos heróis. Sam Wilson, que já ajudou a salvar o mundo, não consegue empréstimo no banco para salvar o barco da família. Bucky Barnes, por sua vez, tenta vencer os fantasmas do seu passado. Afinal, por mais que a mente dele estivesse controlada, a memória das atrocidades permanece. Além disso, trata-se de um senhorzinho de 106 anos tentando viver num mundo moderno.

A estreia de Falcão e o Soldado invernal na Disney+ tem mais cara de Marvel e foca na humanidade dos heróis e na construção da trama política. Confira!

Nesse contexto se desenvolve o primeiro capítulo, já antecipando muito do que vem pela frente. A magia cósmica dá lugar às cenas de luta e às táticas de dois veteranos de guerra. O tom da série, como já dito, traz o tempero da trilogia do Capitão América, com uma trama mais política e militarizada. Afinal, o Tenente Torres apresenta para o público e para Sam a existência de um grupo paramilitar intitulado Apátridas. Enquanto o governo americano anuncia um novo Capitão América, fato que merece muita atenção.

Os Apátridas

O Apátrida originalmente é uma pessoa e não uma organização, como mostrado em Falcão e o Soldado Invernal. A saber, o personagem é Karl Morgenthau e aparece pela primeira vez na edição 312 da Revista do Capitão América. Ele é filho de um líder da ONU que morre em um evento da Organização. Pela morte do pai, Morgenthau se revolta não só com Organização das Nações Unidas, mas com o conceito de nação de forma geral. Dessa maneira, passa a combater símbolos nacionais, incluindo o Capitão América e a defender a ideia de um mundo sem fronteiras.

A estreia de Falcão e o Soldado invernal na Disney+ tem mais cara de Marvel e foca na humanidade dos heróis e na construção da trama política. Confira!

Na série, os apátridas, como dito pelo Tenente Joaquín Torres, pensam que a humanidade estava melhor durante o blip. Eles também defendem a ideia de um mundo sem fronteiras, e, para implantar isso, precisam acabar com os super heróis. Nesse contexto, Torres foi atacado por um apátrida que visivelmente tem super força. E esse personagem parece ser uma espécie de líder dos apátridas. Vale lembrar que já se conhece que a atriz Erin Kellyman interpretará um personagem chamado Karli Morgenthau. Ou seja, é essa a identidade do mascarado, ou melhor, mascarada, que deu uma surra em Torres.

Novo Capitão América

Por outro lado, o novo Capitão América pareceu bem suspeito. Quem leu os créditos sabe que se trata de John Walker, interpretado por Wyatt Russell. Este personagem é bem polêmico e apareceu pela primeira vez na edição 323 do Capitão América, em 86. Nos quadrinhos, ele é aquilo que a Ludmilla chamaria de “fã encubada” de Steve Rogers. Russell atacava Rogers a todo momento, afirmando que ele já não se enquadrava no papel de representante dos reais ideais americanos. Isso, num contexto de guerra Fria significava muito. Porém, o que ele mais almejava era assumir o manto do capitão América, justamente por se dizer mais patriota. Inclusive, o Primeiro codinome assumido por ele é justamente Capitão-Patriota e, mais tarde, Agente Americano.

A estreia de Falcão e o Soldado invernal na Disney+ tem mais cara de Marvel e foca na humanidade dos heróis e na construção da trama política. Confira!

Nos quadrinhos, Russell também assume o título de Capitão América, porém num contexto diferente. Ele acaba se tornando uma bomba-relógio, pois luta junto com os Vingadores da Costa Oeste contra ameaças. No entanto, por sua visão ultra-nacionalista e seus estilo de luta sem escrúpulos, ele próprio passa a ser uma ameaça também. Provavelmente, a série seguirá um roteiro parecido, afinal um ultranacionalista de um lado e um grupo de apátridas de outro pode ser uma combinação bem explosiva. Mas também pode ser que o personagem se torne apenas um alívio cômico.

Enfim, as referências na série

A Marvel adora brincar com referências e easter eggs. Certamente, não seria diferente em Falcão e o Soldado Invernal. A presença de Joaquin Torres propiciou muitos momentos pra gente se atentar. A começar pelo fato de que nas HQs ele participa de experimentos que o levam a desenvolver asas e a habilidade de voar. Assim, quando Sam assume o manto do Capitão América, Torres se torna o novo Falcão. Também é o Tenente que faz a piadinha sobre a teoria de Steve Rogers estar escondido numa base Secreta na Lua.

Quanto aos filmes da Marvel, as principais referências caem sobre Capitão América: o Soldado Invernal e Vingadores: Ultimato. A exposição do Capitão América no museu Smithsonian e a lista de Bucky são referências ao segundo filme do Capitão América. Inclusive, cada nome na lista de Barnes é uma referência diferente. A cena de Luta aérea do Falcão traz de volta a mesma facção criminosa que Steve enfrentou no início do filme. O retorno do blip que acontece em Ultimato também é citado várias vezes. Além de outras cenas que fazem o público se sentir em casa, como a presença de Rhodes e a referência da vida de Bucky em Wakanda.

Falcão e o Soldado invernal x Wandavision

Sem dúvidas, os fãs do MCU estão mais familiarizados com o estilo de narrativa de Falcão e o Soldado invernal. Inclusive, a princípio, a série dos amigos de Steve Rogers estrearia antes de Wandavision. No entanto, o ritmo de gravação foi alterado pela pandemia, com isso a ordem de estreias foi trocada. Talvez tenha sido benéfico para a Marvel, pois o formato inovador da Feiticeira Escarlate gerou muita curiosidade e visualizações. Afinal, as redes sociais estavam em polvorosa tentando entender o que se passava por detrás das sitcons de Wanda Maximoff. Por outro lado, muitos expectadores preferem o ritmo clássico da Marvel, sendo até avesso a inovações e, portanto, opta pelo formato tradicional.

Outra diferença notável entre as duas séries é o ritmo. Wandavision tinha os capítulos bem demarcados. Já Falcão e o Soldado Invernal será como um filme de seis horas dividido em partes, nas palavras da cineasta Kari Skogland. Certamente, ambas as séries são bem distintas entre si e devem agradar a públicos diferentes. A galera que curte superpoderes cósmicos e gigantescos para disputar quem é o mais forte da Marvel vai preferir a história da Wanda. Já a galera que prefere tramas políticas e cenas de ação vai gostar mais da trama de Sam e Bucky.

O que esperar do próximo Capítulo

A Disney+ Brasil divulgou em seu Twitter um novo comercial de Falcão e o Soldado Invernal. Os destaques ficam para o discurso de Sam, a presença de Karli Morgenthau em um velório (provavelmente de seu pai ou mãe, conforme explicado) e o encontro dela com Bucky. Além disso, Sharon Carter também deu as caras mesmo que timidamente e houve muitas cenas do escudo com Sam e Bucky.

Não se sabe se essa cenas serão já no próximo capítulo ou ao longo da série, mas estamos ansiosos e continuaremos acompanhando junto com vocês.

Então, abelhudos, nós do Kolmeia dividimos com vocês nossas informações sobre Falcão e o Soldado Invernal. Agora queremos saber o que você achou! Conte pra gente! Aproveite e leia também: Liga da Justiça de Zack Snyder – Valeu a pena toda a campanha?

Até a próxima!

Related Post

There are 1 comments

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *