Os momentos mais surreais da saga Velozes e Furiosos

A saga Velozes e Furiosos comemorou, nesta semana, os 20 anos da estreia de seu primeiro filme. A saber, a proposta da franquia era mostrar a realidade da cultura de pegas e underground das ruas de Los Angeles. Contudo, o filme mostrou uma mensagem muito maior: a importância da lealdade, amizade e família. 

Porém, a cada filme que estreava, a saga se afastava mais desse conceito, se tornando uma franquia de ação megalomaníaca. Com isso, causando discussões sobre o que era melhor: o passado mais pé no chão ou o presente surreal. Ainda assim, sem perder o foco em sua mensagem.

Dessa forma, após dez longas – nove da franquia original e um spin-off – a saga acumulou diversos momentos insanos ao longo de duas décadas.

Listamos, por ordem cronológica, os momentos mais insanos da franquia Velozes e Furiosos ao longo dos anos:

A emboscada – (Velozes e Furiosos)

Como dito, o primeiro longa da franquia era bem mais pé no chão em relação à ação. Porém, em alguns momentos, o filme já dava pistas de que os personagens se colocariam em situações de vida ou morte.

A cena do assalto, liderada por Dom (Vin Diesel), ao caminhão de eletrônicos é um exemplo disso. Vemos Brian (Paul Walker) tentando ajudar a gangue que está caindo em uma emboscada e lutando para proteger suas vidas.

Nada comparado ao que o futuro nos reservava, mas, ainda assim, eletrizante.

O salto para o iate (+Velozes +Furiosos)

O segundo filme da franquia diverge opiniões. Porém, uma coisa não podemos negar: os memes que ele gerou são maravilhosos.

No entanto, é nesse longa que somos apresentados a dois personagens essenciais da saga: Tej (Ludacris) e Roman Pearce (Tyrese Gibson). 

Ao fim do filme, Roman e Brian tentam alcançar um iate que já está em movimento no mar, convenientemente uma tinha uma rampa no fim da pista. Com isso, os dois saltam com o carro para cima do iate.

A morte de Han (Velozes e Furiosos: Desafio em Tóquio)

O terceiro filme causou muitas dúvidas ao longo dos anos. Afinal, uma cronologia inteira foi montada por conta do personagem Han (Sung Kang).

Sendo assim, o longa foi uma tentativa de renovação da saga, trazendo uma história nova com um novo protagonista, Sean (Lucas Black).

Assim como primeiro, Desafio em Tóquio é um filme mais pé no chão, mas traz uma cena de perseguição eletrizante que é finalizada com a “morte” do personagem mais carismático do filme.

Correr ou morrer (Velozes e Furiosos 4)

A partir desse filme que a franquia decidiu se reformular, trazendo os quatro protagonistas do primeiro longa para uma nova aventura, dessa vez se consagrando como uma saga de ação.

Eu poderia escolher duas cenas para citar aqui na lista: a primeira e a última, mas como a cena inicial foi nossa porta de entrada para nova experiência, será ela.

A cena de abertura do filme mostra o Dom e Letty (Michelle Rodriguez) juntos com sua equipe roubando combustível na República Dominicana.

Contudo, o plano dá errado: um tanque capota fazendo com que os protagonistas tenham que passar debaixo dele em chamas. 

Destruição no Rio (Velozes e Furiosos 5: Operação Rio)

Então, é aqui que as cenas impossíveis começam a acontecer.

No longa, Dom e Brian reúnem uma equipe com integrantes dos filmes anteriores. Assim, o grupo planeja assaltar um dos maiores traficantes do Rio de Janeiro.

A cena em questão aconteceu no final do filme, onde a família rouba um cofre e destrói metade das ruas do Rio tentando fugir da polícia. 

Um salto de fé (Velozes e Furiosos 6)

Durante uma perseguição da família contra a equipe de Owen Shaw (Luke Evans), Dom e Letty protagonizam um dos momentos mais inacreditáveis da franquia.

Letty acaba sendo arremessada de um tanque por cima do viaduto. Com isso, Dom desafia a física saltando de seu carro para salvar a sua amada. 

Carros voam? (Velozes e Furiosos 7)

Considerado por muitos o melhor filme da franquia, o sétimo longa foi dirigido por James Wan (Invocação do Mal), e trouxe uma despedida emocionante ao Brian, depois da morte precoce de Paul Walker.

Porém, o que impressionou a todos mesmo foi a habilidade dos em personagens saltarem com seus carros de um avião para tentar resgatar a hacker Ramsey (Nathalie Emmanuel).

O melhor de tudo é que Wan foi realmente ousado, e filmou tudo de forma prática, como vocês podem assistir a seguir.

Sério, torpedos? (Velozes e Furiosos 8) 

Durante o final do longa, vemos a família correndo sobre o gelo para deter um submarino que a vilã Cypher (Charlize Theron) tem controle.

O momento em questão começa quando a vilã dispara torpedos nos heróis. A cena por si só já é surreal, até que Hobbs (Dwayne Johnson) decide desviar um dos torpedos com suas próprias mãos.

O importante é divertir (Hobbs e Shaw)

Em 2019, o primeiro spin-off da franquia foi lançado. Poderíamos colocar o filme completo como algo surreal na lista, até porque o vilão Brixton (Idris Elba) é um super soldado, e isso por si só já se explica.

Porém, nada supera o momento em que o vilão pilota um helicóptero enquanto tenta atacar Hobbs e Deckard Shaw (Jason Statham) em um carro. Luke segura o helicóptero com uma corrente – sim, isso mesmo – enquanto desviam de bombas e outros carros destruídos durante uma longa perseguição.

Bônus e spoilers: ao infinito e além (Velozes e Furiosos 9)

Conforme vocês podem notar, Velozes e Furiosos se tornaram surreais há muito tempo. A saber, hoje é algo comum para uma saga.

Durante os últimos anos, muito se comentou, na internet, quando esses personagens iriam para o espaço. E, finalmente, chegou o momento.

Dessa forma, os personagens Tej e Roman vão para o espaço em um carro para derrubar um satélite na órbita da Terra em uma das cenas mais hilárias do longa que estreou na última quinta feira (24/06) nos cinemas.

Veja também nossa crítica: Velozes e Furiosos 9 será que o filme foi longe demais?

More Stories
O Poderoso Chefinho 2: Negócios da Família | crítica