Matrix Resurrections tem a coragem de ser original e ainda faz referencias

624 0

Preparados para Re-entrar em Matrix?

Após 18 anos desde o final em aberto de Matrix Revolutions, estamos de novo nos conectando ao universo transmídia de Matrix. Embora muito provavelmente você já tenha ouvido falar sobre filme e tudo o que ele significou, a pergunta que você deve estar se fazendo é: Seria Matrix Resurrections um reboot ou uma história completamente nova?

Parafraseando o leão Aslan em As Crônicas de Nárnia: Príncipe Caspian – “nada acontece da mesma forma duas vezes”. Assim, diferente de algumas franquias que também retornaram ao cinema recentemente, apesar de Matrix ainda manter alguns elementos da primeira trilogia, ele tem a coragem de assumir um caminho diferente. Por essa razão, irei dividir o filme em três atos, sem dar spoiler.

Primeiro Ato – O que está acontecendo aqui?

Assim como no primeiro ato Matrix de 1999, somos bombardeados com diversas cenas de lutas e conversas que parecem esconder uma história ainda maior. Assim, até para quem já assistiu, há vários momentos que a gente não sabe o que acontecendo. Ainda que reconheçamos alguns personagens da história original, não dá pra adivinhar o que irá acontecer a seguir.

Já nessa história, mesmo partindo da premissa de que um jogo de simulador está sendo construído, os fatos são narrados de maneira confusa, a ponto de não sabemos se o que vimos até então foi real ou simulação. Dessa forma, o que deveria ser ponto forte acaba se perdendo. Afinal, hoje há um certo temor a respeito de metaverso e simulações em realidade virtual, ou seja compreendemos a razão desse tema estar alí.

Além disso, esse ato é recheado de um mix de cenas dos filmes anteriores que até causam uma certa nostalgia, só que também passam uma impressão de desorganização.

Em paralelo, o longa tem piadas que zoam o próprio estúdio, uma espécie de propaganda do próximo jogo e momentos de vergonha alheia com o novo Morpheu. E que fique claro, isso não tem a ver com o ator (Yahya AbdulMateen II Watchmen e Aquaman), mas com escolha de roteiro que faz o personagem parecer quase um Jar Jar Binks de Matrix.

Segundo ato – O final de Matrix Revolutions

Há um momento em que o filme entra nos eixos. A partir desse ponto, toda a confusão do primeiro ato começa a fazer sentido. E não só isso, finalmente entendemos o que de fato ocorreu após o término de Matrix Revolutions. Aqui o roteiro tem um salto de qualidade considerável, tanto na história, quanto na interpretação de todo elenco, inclusive do novo Morpheu. Os pontos altos são Jada Pinkett Smith retornando ao papel de Niobe, Keanu Reeves e a estreante Jessica Henwick no papel de Bugs.

Resumidamente, apenas no segundo ato podemos finalmente m dizer: “ah! Agora estamos assistindo aquela história de Matrix”. Sem contar que começa a ficar claro o porquê do filme, de fato, estar acontecendo e quem é o coração da história.

Terceiro ato – Uma nova história

Como apresentado no segundo trailer, Trinity é o centro dessa história. Prometo que não irei falar mais pra não estragar a experiência. Aqui, o filme entrega a grata surpresa de ser uma história que explora as várias portas em aberto que Matrix Reloaded e Revolutions deixaram, ao mesmo tempo, entrega um enredo totalmente original. Não é uma reformulação do primeiro filme, mas algo totalmente novo.

Em Matrix Resurrections, no terceiro ato finalmente podemos conhecer mais a Trinity. Assim Carrie-Anne Moss concede uma interpretação na qual é possível o lado humano do personagem.

Outro ponto a ser comentado são os vilões. Afinal, um deles é a nova versão do Agente Smith interpretado por Jonathan Groff (‘Hamilton, Glee e Looking). Assim como as ameaças estão diferentes, se não fosse a dica do trailer e do mix de cenas dito acima, a interpretação Jonathan conseguiria fazer você acreditar que ele poderia ser o cara bonzinho prestes à ajudar e, dois segundos depois, o cara que vai te dar um tiro. Já o segundo vilão, não há como comentar sem dar spoilers.

Matrix Resurrections vai ter continuação?

A melhor resposta para essa pergunta é: há uma grande possibilidade! O desfecho de Matrix Resurrections equivale ao de Matrix e é muito superior ao de Revolutions. Portanto, há uma uma his´tória que pode ser utilizada em mais filmes. Ao mesmo tempo, esse filme pode ser o final digno que o terceiro deixou em aberto. Além disso, a Matrix evoluiu!

Antes de encerrar esse texto, temos outras pontuações! Há novos personagens e em algumas cenas eles se sobressaem bastante. Porém, como prometi lá em cima que não daria spoilers fica complicado comentar mais. O que posso dizer é que dois personagens da série Sense 8 estão no filme.

Portanto, apesar do primeiro ato meio bagunçado, Matrix Resurrections tem uma história original, vibrante que pode marcar o início de uma nova era. Aliás, essa é uma experiência que vale a pena ser assistida em IMAX.

Fernando Campo Grande

Um Geólogo/Produtor de conteúdo nascido no Rio, apaixonado por filmes, series, videogame. Produtor de stories no instagram e curioso pra caramba. Me juntei com uma galera legal e fiz um site, tem dado certo até agora e creio que assim continuará

Related Post

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *