The Batman traz a mesma excelência de Coringa e conquista a crítica

The Batman traz a mesma excelência de Coringa e conquista a crítica

552 0

Depois de muita expectativa por parte dos fãs, The Batman de Matt Reeves chegou ao cinema. Com Robert Pattinson dando vida a Bruce Wayne, o filme introduz um novo Batman sem vínculo direto com outras histórias do DCEU. Entretanto, foge do clichê de filme de origem, optando por apresentar um Homem-Morcego já consolidado. Assim sendo, não é necessário acompanhar todo o desenrolar da história da família Wayne. Ao contrário, o filme já começa com a ação acontecendo e detalhes do passado dos Wayne só vêm à tona à medida que se mostram necessários ao desenrolar da trama.

Texto escrito em parceria com @carla Benevenuto

The Batman resgata aquele sentimento de originalidade que há muito se havia perdido em meio às adaptações dos universos de super-heróis. Além disso, o estúdio Warner parece ter aprendido com os erros cometidos na era Zack Snider. Assim sendo, permitiu que Matt Reeves (Planeta dos Macacos: O Confronto e Cloverfield) tivesse liberdade para produzir uma obra-prima. Parte disso se deve ao próprio Reeves que, simplesmente, recusou-se a dar continuidade ao roteiro escrito por Ben Affleck.

Dessa forma, o diretor/autor foi responsável pelo tom do longa que mistura magistralmente elementos de romance policial e cinema noir, que vão desde a investigação criminal, passando pelo clima sombrio de Gothan

Dirigido por Matt Reeves, The Batman traz Robert Pattinson na pele de Bruce Wayne e arrebata a crítica com um herói mais humano e investigativo. Veja!

Ghostbusters: Mais Além faz tributo divertido e emocionante ao filme de 84

The Batman para os fãs dos quadrinhos

A saber, The Batman carrega, principalmente, os elementos presentes nas HQs Ano Um e O longo dia das Bruxas. Portanto, agora temos o Homem-Morcego (Robert Pattinson) numa linha muito mais investigativa do que como super herói. Aliás, nesse filme, claramente a já bastante violenta Gotham ainda o vê como apenas um vigilante, alguém que causa mais medo do que admiração. Ao mesmo tempo, ele tem uma história original e um tom muito mais próximo de realismo, seguindo a uma linha similar a trilogia de Christopher Nolan e o filme do Coringa (Todd Phillips).

Inclusive, embora não haja até o momento qualquer indício da conexão entre The Batman e Coringa, ambos claramente têm a influencia de filmes como Taxi Driver e Chinatown. Além disso, durante a história é possível encontrar brechas que se encaixariam perfeitamente com os acontecimentos do filme do palhaço.

Ainda sobre a originalidade do roteiro, The Batman não segue nenhum tipo de fórmula. Além do mais, acertadamente, o filme aborda temas presentes na mitologia do Morcegão que, até então, só tinham sido vistos nas HQs. Outra coisa, se prepare para a violência, ainda que as cenas de luta sejam pontuais, literalmente o pau quebra. Não uma violência gore e sanguinolenta, mas uma que ocorre nas sombras e faz realmente temer pelos moradores de Gothan City.

O fator Robert Pattinson

Certamente, uma das maiores expectativas com relação a The Batman recaíam sobre o desempenho de Robert Pattinson. Não que a cobrança excessiva se justifique, pois Pattinson já tinha se mostrado um ator eficiente em papéis como Preston Teagardin, em O Diabo de Cada Dia, por exemplo. No entanto, fazer um personagem como Bruce Wayne é sempre uma responsabilidade grande. Mas, de fato, não há o que criticar em relação ao trabalho do ator, ao contrário, a atuação foi brilhante.

O Batman de Pattinson permitiu uma conexão mais profunda com a humanidade do herói. Assim, o público pode ver um Wayne com cicatrizes físicas e emocionais. Por outro lado, a destreza e a capacidade de investigação estavam acirradíssimas. Principalmente por conta dos planos do vilão Charada que ora está cometendo crimes, ora está apresentando uma nova pergunta que faz a história avançar.

The Batman além de Wayne

Por mais que Robert Pattinson tenha feito um bom trabalho, certamente, não brilhou sozinho. Outros atores também foram certeiros em suas atuações, como Zoë Kravitz, Jeffrey Wright, Collin Farrel e Paul Dano.

A interação de Wayne com o Comissário Gordon (Jeffrey Wright) foi super natural e convincente. O desenrolar da trama investigativa só é possível pela parceria com Gordon que abre portas para o Batman. É Jim que ajuda a dar ao filme um ar de romance policial, mesmo que a trama vá além disso.

Dirigido por Matt Reeves, The Batman traz Robert Pattinson na pele de Bruce Wayne e arrebata a crítica com um herói mais humano e investigativo. Veja!

Zoë Kravitz, por sua vez, parece que nasceu para a Catwoman e vice-versa. Selina Kyle é a anti-heroína que se encaixa como uma luva na fotografia sombria de Gothan City. A Femme Fatale comum em film noir vem repaginada, com camadas que vão além da capacidade de seduzir. A história da Mulher-Gato importa por que o público se importa com ela. Não é apenas uma questão de como a vida dela vai impactar a do herói. Diante disso, coube a Zoë dar a ela o tom certo, o que aconteceu perfeitamente. Além disso, a química com Pattinson foi inegável e a tensão sexual Wayne-Kyle tornou a atmosfera noir ainda mais envolvente.

Porém, se os “mocinhos” foram brilhante em cena, os vilões não deixaram nada a desejar. A escolha do Charada como antagonista principal também foi super acertada. Afinal, sem pistas não há investigação e o jogo se torna mais perigoso quando elas são deixadas por um supervilão calculista e completamente insano, mas com alto por destrutivo. O papel coube a Paul Dano e também foi magistralmente interpretado. Outros destaques vão para Collin Farrel que apareceu pouco, mas se fez ser notado como Pinguim, inclusive, pela maquiagem impecável e John Turturro como Carmine Falcone.

Um Batman para entrar na história

Talvez, as quase 3h possam incomodar algumas pessoas. É até compreensível o argumento de quem diz que o filme poderia ter uns 20 minutos a menos. No entanto, a trama densa, realista, dinâmica e envolvente faz com que o ritmo seja mantido do começo ao fim. Sem falar na alta expectativa pelo próximo assassinato e pela próxima pista.

Do herói imponente a órfão traumatizado, cada nuance do Batman é captada com uma clareza profunda. Portanto, Matt Reeves conseguiu gravar seu nome na história do Batman.

Você gostou do Batman de Matt Reeves e Robert Pattinson? Conta pra gente nos comentários! Siga o @Kolmeia nas redes sociais

Fernando Campo Grande

Um Geólogo/Produtor de conteúdo nascido no Rio, apaixonado por filmes, series, videogame. Produtor de stories no instagram e curioso pra caramba. Me juntei com uma galera legal e fiz um site, tem dado certo até agora e creio que assim continuará

Related Post

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *